Santuário

A ermida do Monte Farinha ou santuário de Nossa Senhora da Graça, eclesiasticamente, pertence à Diocese de Vila Real, cujos limites com a de Braga são actualmente definidos na região pelo rio Tâmega.
Está situada na freguesia de Vilar de Ferreiros (Mondim de Basto) e dista cerca de 100 km do Porto, 40 de Guimarães, 30 de Amarante, e 50 da cidade de Vila Real.
É talvez a quarta construção. Antes dele houve outras mais modestas, que a inclemência dos tempos destruiu ou danificou gravemente.
Em 1747, os Mordomos e a confraria requerem ao arcebispo de Braga, D. José de Bragança (a diocese de Vila Real só foi criada em 1922), a reedificação da capela “desde os Fundamentos”, tendo o Pároco de Vilar de Ferreiros e de Atei que tal obra era necessária por “ ter sofrido ruínas e ser antiquíssima”. Dez Anos depois, em 1758, a obra estava concluída. Alguns melhoramentos complementares terão sido feitos depois, como parece indicar a data de 1775 gravada na porta do púlpito.
A primeira Capela no alto do monte, com o título de Senhora da Graça, parece ter sido construída no séc. XVI. Deve ser desse tempo a antiga imagem da Senhora da Graça, actualmente guardada e substituída por aquela que se encontra ao culto no Santuário
O actual edifício, todo em granito da região, é formado por torre sineira quadrangular, nave única octogonal; e capela-mor e sacristia rectangulares, em eixo. O interior é em cantaria, em fiadas de aparelho isódomo. Coro-alto sobre arco abatido, com abalaustrada de granito e sub-coro com duas pias de água benta, gomadas, confrontantes. Nave coberta por cúpula de granito, sobre cornija circular e pavimento lajeado.
Espaço centralizado, estruturado por 4 arcos plenos sobre pilastras dóricas, com dois púlpitos laterais, de base rectangular sobre mísula volutada com decoração fitomórfica, guarda de madeira policromada e marmoreada, sanefa de talha a sobrepujar o vão em cuja verga está gravado Feito Este Santuário (púlpito do lado da Epistola) e Ano de 1775 (púlpito do lado do Evangelho). Na capela-mor com o símbolo mariano AM, pontificam além da imagem da padroeira, Nossa Senhora da Graça, sobre a banqueta do sacrário, as imagens do Sagrado Coração de Jesus e de São Tiago, que com as do Crucificado e de Nossa Senhora de Fátima constituem o principal património iconográfico da ermida. (3)
Fazem parte deste santuário além dos imóveis correspondentes à casa das estampas, casa e bouça do ermitão, restaurante e centro de acolhimento aos peregrinos, mais três capelinhas que compassadas ficam num dos antigos acessos ao “Iteiro” da Senhora, ou do Santinho (São Tiago), como ali se diz. A do fundo, de 1889, com o presépio, recorda o nascimento de Jesus; a do meio, de 1933, lembra a visita de Nossa Senhora a sua prima Santa Isabel; e a de cima, de 1886, com o Pai Eterno e o Anjo São Gabriel, alude à Anunciação.
Trata-se de um dos principais santuários marianos do Norte de Portugal e dos mais concorridos de entre Douro e Minho, agora com Centro de Acolhimento e de apoio aos peregrinos e romeiros que ao longo de todo o ano têm as portas abertas e restaurante em funcionamento.
*(A primeira Peregrinação de Setembro ao Santuário de Nossa Senhora da Graça realizou-se em 1945. Iniciativa da Juventude do Concelho de Mondim de Basto e que aderiram jovens e adultos dos concelhos vizinhos com a intenção de agradecer o fim da II Guerra Mundial).

Monte Farinha

Há muitos anos atrás, andava um pobre moleiro pelas terras de Basto, com uma velha carroça de madeira puxada por um velho jerico. O moleiro levava consigo um moinho, um “pio de piar” ou sanfona, que utilizava para transformar o milho em farinha. As pessoas das povoações quando o ouviam acorriam imediatamente ao largo da aldeia com os seus sacos de cereais. E assim passava ele o dia, percorrendo uma e outra povoação.
Certo dia, encontrou no caminho uma senhora que fazia o seu trajecto a pé, debaixo de um sol escaldante. Compadecido com a graciosa senhora, o moleiro parou e ofereceu-se para a levar na sua carroça. Quando se aproximavam da citânia do Meão Grande (ou dos Palhaços), avistaram um grupo de mouros que a eles se dirigiam. O homem chicoteou o jerico para que ele andasse mais rápido e para que se escapassem dos mouros, mas o animal, assustado, meteu a pata entre duas grandes pedras, não conseguindo libertar-se. O moleiro saltou da carroça para auxiliar o jumento. Mas entretanto chegaram os mouros que o mataram.
A senhora, com medo, saltou da carroça para uma alta pedra que se encontrava ao lado, e disse: “Abre-te pedra! Faz-me esta graça!”. A pedra abriu-se, a senhora entrou, e voltou a fechar-se rapidamente. Ao verem isto, os mouros deixaram os grãos de cereais e a farinha e fugiram “a sete pés”.
O moinho, descontrolado, não parava de moer. Moeu... Moeu... Moeu... formando um monte muito alto de farinha. As pessoas das povoações vizinhas acorreram ao local, dizendo espantadas: “Que montes de farinha!”. Desde essa altura, este sítio ficou conhecido como Monte Farinha.
Quanto à senhora…, continua encerrada na Pedra Alta. O povo atribuiu este acontecimento a Nossa Senhora, construindo, no alto do Monte, uma Capelinha em sua honra para lhe agradecer a ajuda prestada à senhora da Pedra Alta, e deu-lhe por isso, o nome de Senhora da Graça.
Ainda hoje o Monte da Senhora da Graça é também conhecido por Alto do Monte Farinha.
A Capelinha da lenda é o actual Santuário de Nossa Senhora da Graça. A Pedra Alta que ainda existe, descobre-se facilmente por estar no ermo pintada de branco, e se não é menir, pelo menos está seguramente relacionada com o antigo “culto das pedras”, isto segundo a douta opinião de D. Domingos Pinho Brandão.

Portfolio

Capelas

Primeira Capela

Mais conhecida como Capela do Fundo, foi construida em 1889. Decorada com o presépio, recorda o nascimento de Jesus.

Segunda Capela

É vulgarmente conhecida como Capela do Meio.Foi construida em 1933, lembrando a visita de Nossa Senhora à sua prima Santa Isabel.

Terceira Capela

É mais conhecida como a Capela de Cima. Datade de 1886, está decorada no seu interior com o Pai Eterno e o Anjo São Gabriel, alude à Anunciação.

 
-->

Contactos